Novas séries que merecem ser assistidas até o fim das suas férias

0
71

Novas séries da Netflix e de outras plataformas de streaming aparecem o tempo inteiro. Tantas opções colaboram para que o mundo possa consumir mais artes e entretenimento, e também para que suas férias fiquem mais interessantes. Ninguém precisa decidir entre assistir a uma série, fazer um curso, ficar em casa ou viajar, afinal as produções cabem, literalmente, no seu bolso, e podem ser acessadas a qualquer hora.

Porém o medo de escolher uma das novas séries e se arrepender – e depois ficar lamentando o tempo perdido – é real. Quando todos falam sobre um título específico nas redes sociais significa que a série é boa ou superestimada? E quando mudam a conversa para outra série?

Com tantas novas opções (e os famosos críticos do Twitter com opiniões diferentes uns dos outros), fica difícil adivinhar o que é bom, o que é muito bom, e escolher quais séries vale a pena assistir. Então aqui vai uma lista de cinco novas séries que realmente merecem o tempo que resta de suas férias:

1. You (Netflix): You conta a história de Joe, gerente de uma livraria, que começa a agir como um stalker no momento em que conhece Beck, uma aspirante a escritora. Ele muda todo o seu comportamento para que se ajuste à rotina de Beck, e acaba interferindo em sua vida sem ela saber, até que um relacionamento entre os dois acontece. A série é interessante pois mostra um relacionamento tóxico e extremamente perigoso do ponto de vista do agressor. Joe não acredita que está fazendo nada de errado em “eliminar” os problemas da vida de Beck, mesmo quando tais problemas são pessoas.

 

2. Tidelands (Netflix)A primeira série original da Netflix australiana entra pra lista das novas séries que foi um grande acerto para a plataforma, e conta com o brasileiro Marco Pigossi no elenco. As melhores histórias de ficção são aquelas que conseguem colocar os elementos mágicos em uma realidade muito sólida, para que o enredo não pareça absurdo e fantasioso demais. Tidelands faz isso perfeitamente ao criar um novo significado para o mito das sereias. Cal McTeer, uma ex-presidiária, descobre os segredos e mistérios que cercam sua cidade natal, incluindo uma comunidade chamada L’Attente, que acolhe seres místicos híbridos, metade humanos, metade sereias.

 

3. Sex Education (Netflix): Se fosse julgada pelo nome e pelo trailer, Sex Education teria tudo para ser um típico besteirol focado nas descobertas sexuais dos jovens. Otis (Asa Butterfield) é um jovem que mora com sua mãe, uma terapeuta sexual. Ele cria uma clínica com Maeve, uma rebelde com causas e um passado que justifica suas ações, para solucionar os problemas de seus colegas de escola. Além de possuir uma trama extremamente única, a série possui personagens singulares e cativantes, e caminha por cada um deles enquanto aborda temas como o aborto, a homossexualidade, inseguranças e a pressão de ser o que os outros querem que você seja. Tudo de maneira muito natural. Acaba por ser uma ótima surpresa.

 

4. Wayne (YouTube Premium): A história já é conhecida: Jovens problemáticos com passados dramáticos que acabam por se tornar rebeldes. O pai de Wayne, em seu leito de morte, diz que deixaria um carro de herança para ele caso sua mãe não houvesse roubado anos atrás e fugido com outro homem. Minutos depois da conversa, Wayne se encontra na estrada rumo à Flórida com uma moto e Del, sua namorada que acabou de conhecer. A série é muito similar a The End of The F***ing World, mas com personagens mais cativantes e sem situações forçadas. As ótimas atuações também são um bônus. E caso você não tenha a assinatura do YouTube Premium, é possível testar os serviços da plataforma com o primeiro mês grátis.

 

5. Derry Girls (Netflix): O ensino médio nas produções audiovisuais é sempre associado aos Estados Unidos, com seus armários, adolescentes populares, adolescentes excluídos, e os bailes de formatura. Derry Girls mostra com originalidade e um um ótimo humor leve como é o oposto deste sonho americano ao ter como cenário uma escola para garotas em uma área de conflito na Irlanda do Norte durante a década de 90. A história acompanha Erin e seus amigos, que vivenciam situações que seriam “comuns demais” para estarem em uma série americana, tudo isso enquanto o exército está sempre presente nas ruas ou em revistas do ônibus da escola. O humor neste contexto, a inocência das protagonistas e as ótimas atuações fazem com que os poucos seis episódios de 20 minutos passem rápido demais.