Alessia Cara transforma suas dores em genialidade artística com The Pains of Growing

0
69

A sinceridade pode ser vista como a essência de Alessia Cara. O olhar da artista para assuntos pessoais ou problemas da sociedade é único, e já proporcionou algumas canções que deram esperança à indústria musical em uma época em que o sucesso era sinônimo de hits vazios escritos por terceiros. Alessia continua sincera, e não perde a esperança em seu segundo álbum enquanto tenta entender as dificuldades do crescimento e de tudo o que vem com ele.

The Pains of Growing é claramente representado pela ótima Growing Pains, que compacta toda a mensagem do disco na primeira canção. As próximas músicas servem como complementações para explicar o que Alessia encontrou em seu crescimento, e como lida com cada situação. A sonoridade está amadurecida, e faz misturas de ritmos com samples repetidas até criar ritmos autênticos.

Ariana Grande exala positividade em Sweetener e leva o amor como o conceito da era tão doce quanto sua voz

Em Not Today, a cantora encontra esperança nos piores de seus dias, assim como a letra triste se torna esperançosa com o ritmo alegre. Já em Wherever I Live, a verdade por trás da considerada atrativa vida na estrada é apresentada de maneira divertida, e leva o ouvinte até o quarto de hotel de Alessia, e todos os detalhes que acompanham o tédio e a solidão.

Em meio a uma desilusão amorosa cantada em fases, Alessia encontra inspiração na sociedade para fazê-la parte de seu crescimento, e consequentemente, de suas dores e dúvidas. Um questionamento a Deus é feito em 7 Days enquanto Alessia relaciona a vida com um ótimo programa de televisão. Os absurdos encontrados nas redes sociais, cercados por um mundo intacto de celebridades perfeitas, são bravamente criticados, mesmo quando os telespectadores da fama não querem reconhecer seu comportamento.

Alessia não criou The Pains of Growing para ser encaixado com álbuns fofos sobre a superação de um relacionamento. Alessia fala a verdade, por mais que doa a ela mesma, e assim encontra algumas respostas para as dores de seu crescimento. As canções não economizam palavras, e em alguns casos podem ser confundidas por poesia.

O disco é como um livro em que a personagem principal busca respostas após o término de um relacionamento, e acaba sensível o suficiente para formular questionamentos que vão além do amor. Como todo bom livro, a personagem mostra sua personalidade, e deixa com que o leitor, ou no caso o ouvinte, a conheça através de suas experiências ali escritas, com referências à Friends e Beatles.

O álbum poderia ser encerrado com Easier Said, que ironiza o modo como outras pessoas olham para seu crescimento e julgam, apontando maneiras óbvias de lidar com os sentimentos, mas Alessia preferiu fazer uma reprise de Growing Pains, como uma justificativa por todo o álbum, ou melhor, um responsável.

A imagem vendida que acompanha Alessia em The Pains of Growing é a mais verdadeira possível, de uma menina normal, que tem a normalidade como identidade artística. A cantora é um dos raros casos em que a imagem combina com a realidade, afinal a honestidade presente em suas canções foi escrita por ela. Alessia realmente pode não ser Bowie, Prince ou Queen, mas sua genialidade está na transformação de suas inseguranças e questionamentos em boas canções humanas, e isso apenas um talento genuíno pode passar.