O divertido Tudo Por Um Pop Star foca na adolescência real e movida por sonhos

0
22

Tudo Por Um Pop Star faz parte das novas produções nacionais que fogem do formato quase exclusivo que cerca o cinema brasileiro. Com o impulso das ótimas obras de Thalita Rebouças, o filme é a terceira adaptação cinematográfica dos livros da autora, e representa a feliz realidade de seu sucesso, que incentiva o consumo da literatura brasileira em seus vários formatos.

O filme foca em uma parte da adolescência que realmente pode ser encontrada fora das telas. Thalita Rebouças deixa o clichê americano de lado e conta a história de Gabi, Manu e Ritinha, três jovens fãs do grupo Slavabody Disco Disco Boys que vão ao Rio de Janeiro para assistir a apresentação única da banda no Brasil, enquanto lutam por um possível encontro com seus ídolos.

A jornada das três personagens não demora para começar, e tem vários obstáculos. O enredo é marcado pelos desencontros, broncas e outras várias coisas que não funcionam para as protagonistas. João Guilherme cria um bom Slack mais presente nos sonhos das meninas do que na realidade. Porém o otimismo persiste, e aparece principalmente na trilha sonora cativante que colabora para a história.

As protagonistas são bem construídas individualmente, todas com histórias e motivos diferentes. Juntas, elas representam legiões de fãs que são inspiradas diariamente por jovens que conquistam a realização de seus sonhos. O excelente trabalho de Maisa Silva, Klara Castanho e Mel Maia tornaram as personagens reais, sem exageros e com um relacionamento verdadeiro com o público.

Outros personagens colaboram para o crescimento da trama. Felipe Neto faz seu primeiro trabalho nos cinemas, e prova que deveria passar mais tempo neles. Por mais que nas telas também seja um youtuber, não se prende a imagem já conhecida pelos inscritos de seu canal. O ator dá vida a um Billy Bold que diverte com sua essência maléfica e bordões hilários. A espirituosa Babete, interpretada por Giovanna Lancellotti, também é um grande bônus para o filme, e serve como maior incentivo aos sonhos das protagonistas.

A ótima direção de Bruno Garotti completa o excelente roteiro, também escrito por Thalita Rebouças, encanta pelo retrato tão fiel da realidade de jovens fãs. Por mais absurdo que seja querer respirar o mesmo ar de seu cantor favorito, ou até mesmo comer o que sobrou de seu sanduíche, essas são situações compreendidas com o olhar singelo de Thalita. A identificação com esse público tão específico é inevitável, e cria as cenas mais divertidas.

O filme aposta na inclusão de grandes nomes adorados por seu público alvo para contar a história, mas Tudo Por Um Pop Star não é representado pela fama de seu elenco. Ele encanta por se relacionar com os adolescentes de maneira real e divertida, sem os exageros que normalmente aparecem em retratos de jovens. A parte inspiradora da adolescência, movida por sonhos, é perfeitamente ilustrada no filme que levou a essência da compreensão de Thalita Rebouças dos livros para as telas.