O necessário incentivo ao consumo cultural infantil do Show das Poderosinhas de Anitta

0
70

Quando subiu ao palco do Teatro Positivo, no show produzido pela Like Entretenimento, Anitta já havia se apresentado em Curitiba na madrugada anterior. O que poderia ser um evento arrastado, para fazer apenas uma presença para seu público infantil que possivelmente não conseguiria notar o cansaço da cantora, acabou por se tornar uma prova de que Anitta não pode ser parada – nem por um segundo. A energia passada nos 60 minutos que compuseram o Show das Poderosinhas em Curitiba criou uma energia inspiradora para as crianças que estavam ali para prestigiar o maior nome da música brasileira atual.

Um evento focado apenas em crianças visa atingir um público específico, que está cada vez mais conectado. A internet proporciona novas ideias e vontades para as crianças, mas o diferencial está no consumo destes produtos, e que no caso, é um grande incentivo para a cultura brasileira. Isso porque o que Anitta faz estimula o consumo de cultura em uma área que foi pouco dominada por crianças pequenas. Assistir a shows ao vivo em países como Inglaterra e Estados Unidos sempre foi como ir ao circo ou ao parque de diversões para as crianças estrangeiras. É algo que faz parte da cultura, e que o Show das Poderosinhas estimula.

Leia também: O conceito de adoração artística do feminino de God is a Woman que se tornou símbolo de empoderamento

O ambiente criado é saudável e alegre, em que as crianças podem se identificar umas com as outras, independente do gênero ou classe social, afinal todos que estão ali pensam da mesma forma em relação à Anitta. A cantora cria um ambiente íntimo com os fãs enquanto canta todos os seus sucessos que parecem nunca ter fim. Os figurinos brilhantes e coloridos trazem a nostalgia de uma popstar completa – mas na realidade, Anitta é o maior nome da música brasileira justamente por ir além do termo de estrela do pop ao também ser uma estrela em toda a sua carreira por trás das câmeras.

Enquanto realizava suas coreografias completas com um ótimo time de bailarinos e bailarinas, levando as crianças à loucura de tamanha empolgação, principalmente em músicas como ‘Não Para’, ‘Loka’ e ‘Medicina’, e até mesmo em meio a arremessos de algumas bolas e bambolês para a plateia, Anitta reforçou para os pequenos a importância dos estudos em qualquer carreira, exemplificando com suas turnês, em que pode cantar suas músicas em três idiomas diferentes justamente por seu esforço. O que pode parecer um discurso clichê também retrata a realidade, e mais uma vez lembra às crianças que existe mais de um caminho para seguir quando se trata de sonhos.

Anitta deixou claro que pretende investir ainda mais no mercado cultural infantil. A cantora revelou que no fim do ano, uma animação intitulada Clube da Anittinha será lançada, em que sua extensa agenda de shows conseguiu ser conciliada para as dublagens do desenho. Além disso, a continuidade do Show das Poderosinhas completa a extensão da carreira de Anitta, que enquanto busca a dominação mundial com sua inteligência musical, também serve de incentivo para o consumo cultural desde cedo.

O consumo desta cultura do Show das Poderosinhas acaba por fazer parte do crescimento das crianças, e servindo como incentivo para sonhos que futuramente podem se tornar metas. É difícil encontrar uma criança que cresça sabendo que dançar, assim como tocar um instrumento, pode ser considerado uma profissão, e não apenas uma resposta para os “o que você quer ser quando crescer?“. Quando a criança é incentivada pelos pais e responsáveis a entrar em contato com o consumo da arte, ‘ser artista’ vira uma opção tão alcançável quanto professor ou bombeira. E às vezes, isso faz toda a diferença.