Um Chá com Alok: O DJ falou sobre colaboração com Mick Jagger, personalidade artística e maior sonho profissional

0
15

Integrando a lista dos melhores DJs do mundo, Alok aparenta saber exatamente quais caminhos seguir para fazer com que sua carreira já bem sucedida cresça ainda mais. Seu imenso sucesso se dá ao fato de sua autenticidade – mesmo após um pedido para mudar o modo como produz suas músicas, o DJ preferiu seguir colocando sua personalidade em seu trabalho até chegar onde está.

Além disso, uma parceria para a criação de um remix oficial de “Gotta Get a Grip”, de Mick Jagger, também faz parte do histórico de Alok. Tudo isso e mais alguns detalhes sobre futuros objetivos, músicas já lançadas e seu show no Villa Mix Curitiba foram comentados na entrevista.

O ritmo “pop/eletrônico” que mistura uma voz popular com um ritmo eletrônico é sem dúvidas o maior sucesso atualmente. Como é criar esse trabalho que está colocando artistas no topo direto do Brasil – e consequentemente aproximar o público brasileiro do cenário eletrônico?
É impressionante colher todos esses resultados e reconhecimento por conta disso. É um orgulho máximo ver que estamos levando a música eletrônica para outro patamar e quebrando barreiras. É um sonho sendo realizado com certeza. 

Você tem uma parceria que poderia ser até chamada de improvável com Matheus e Kauan – que ficou fantástica justamente pela diversidade. Quais outros artistas brasileiros você gostaria de criar uma colaboração diversificada?
Criolo, Seu Jorge (mais uma vez), nossa, difícil com tanta gente boa no país escolher alguém em específico … 

Quanto às criações, qual a diferença entre os processos de produção de suas próprias faixas e de remixes de produções já existentes, de outros artistas?
A dedicação, profissionalismo e carinho depositado são os mesmos, mas quando é 100% seu temos um olhar diferente.

Você fez um remix para o EP solo de Mick Jagger em “Gotta Get A Grip”. Como foi o processo de criação e colaboração com esse ícone mundial?
Foi sensacional. Ele foi muito profissional acompanhando todo o processo. Foi uma honra participar desse trabalho e isso pode ser considerado mais um sonho também realizado. 

Li que algumas gravadoras europeias pediram para você mudar seu estilo pois não se encaixava no padrão europeu. Qual a importância de ter dito não para esse pedido e construído uma personalidade musical baseada em si mesmo e não naquilo que as gravadoras acreditavam que seria consumido?
Eu acho que tudo deu certo por fazer a diferença. Foram vários obstáculos pra conquistar meu espaço e ir contra o que as pessoas fazem normalmente foi um dos critérios, acredito eu. 

Os trabalhos que você fez com Zeeba e Bruno Martini em “Hear Me Now” e “Never Let Me Go” são incríveis e acabaram mostrando uma personalidade de vocês três em conjunto. Vocês pensam em criar algo ainda maior, como um EP em parceria?
Muita coisa pode acontecer. Eles são excelentes profissionais. Os resultados desses trabalhos são incríveis e de relevância total na história da minha vida profissional. 

Além de estar na lista dos 100 melhores DJs do mundo, ter a música mais reproduzida no Spotify Brasil e realizar uma colaboração com Mick Jagger, existe algum objetivo muito almejado ainda não alcançado em sua carreira?
Sim, pretendo criar uma dinâmica de um próprio show. Uma experiência além dos shows que as pessoas vêem. Esse é atualmente meu maior sonho profissional.

Para finalizar, qual a expectativa para apresentar o novo single “Big Jet Plane” no Villa Mix Curitiba?
Tenho um carinho enorme por Curitiba, local onde tive alguns dos melhores momentos da minha carreira. Curitiba sempre estará no hall das apresentações inesquecíveis. A ansiedade é enorme e a expectativa das melhores com certeza.


Alok é um dos artistas confirmados para o Villa Mix, que chega à Curitiba no próximo dia 21 de Outubro, na Arena Expotrade, em Pinhais. Os ingressos estão sendo vendidos online pela TicMix e nas lojas físicas da Multisom e Disk Ingressos.