Com autenticidade, The Vamps e Matoma apresentam sincronia e leveza na criação de Staying Up

0
100

Fazendo apenas um mês do lançamento de seu terceiro – e melhor até então – álbum, The Vamps não se conteve em poupar tempo para liberar mais um pouco de seu novo material que está sendo produzido incansavelmente pelos integrantes da banda que fazem questão de criar tudo o que é lançado. Parece cansativo, mas quando o trabalho é bem feito o cansaço se torna gratificante. Os meninos resolveram apostar em mais uma parceria com Matoma, intitulada “Staying Up” – só para não perder o costume de manter os fãs acordados. Apesar do ritmo eletrônico ser automaticamente classificado como noturno, ao ser misturado com o pop da banda se tornou algo absolutamente contagiante que faz o público dançar a qualquer hora do dia.

Escrita pelos integrantes do grupo, a letra reafirma o amadurecimento da The Vamps em relação às suas composições. Dessa forma, a banda pode continuar alcançando um público diferenciado, aumentando assim ainda mais sua popularidade. Além disso, a parceria também é ótima pelo ritmo, feito por Matoma, que deixa mais uma vez os romances das letras mais leves e divertidos para serem cantados sem nenhuma pressão de um coração partido. O vocal de Bradley Simpson é definitivamente outro grande diferencial, já que sua voz enrouquecida que é ótima em músicas melódicas e acústicas consegue se adaptar perfeitamente para algo como “Staying Up”, onde o ritmo é o foco.

Leia também: A incrível energia ao vivo dos shows da The Vamps que irá retornar ao Brasil em Setembro

A junção do trabalho da The Vamps com o de Matoma é integralmente sincronizada. Assim como em “All Night”, “Staying Up” continua demonstrando a essência dos dois artistas ao misturarem seus ritmos – sendo essa a parte interessante. Dessa forma, é possível captar o som de instrumentos normalmente utilizados dentro de um set acústico em uma produção eletrônica, deixando-a completamente autêntica. É ótimo continuar observando artistas como The Vamps se libertando da mesmice, muitas vezes imposta pelo seu público alvo, apenas por optarem tentar algo diferenciado e novo. Isso leva a um crescimento artístico impossível de ser alcançado por aqueles que ficam presos à apenas um modo de criação. A banda já provou que não precisa se encaixar em um ritmo pois sua essência estará presente em todos aqueles que apresentarem, afinal os integrantes continuam criando cada detalhe que será lançado.

“Staying Up” ganha o título de música feita em conjunto, sem ser apenas da The Vamps ou de Matoma. “All Night” definitivamente merecia uma sucessora após ter sido um risco que virou sucesso. Porém, é necessário lembrar de toda a competência apresentada na versão Night do “Night & Day“, que possui vários singles em potencial que não devem ser desperdiçados e que definitivamente podem exercer o papel de divulgação do álbum até dezembro, quando a versão Day será lançada.

Não há duvidas de que a banda tem muito a oferecer, afinal conseguir criar um aparente buzz single como “Staying Up” logo após o lançamento do incrível “Night & Day” não é tarefa fácil. As colaborações entre o grupo e o DJ são tão leves e espirituosas que poderiam se tornar um hábito ao colocadas em um EP colaborativo. A mistura entre Matoma e The Vamps é tudo o que a indústria musical procura atualmente, mas já que estamos falando de pessoas que realmente criam seus hits: É tudo o que a indústria procura, com um pouco mais de autenticidade.


Vale lembrar que The Vamps virá ao Brasil esse mês para cantar “Staying Up” e todos os outros sucessos da banda. O show irá acontecer no dia 17 de Setembro, no Audio, em São Paulo. Os ingressos variam de R$150 à R$400 e você pode comprar clicando aqui. Nos vemos lá!