O genial deboche artístico das falsas faces de Taylor Swift presente em “Look What You Made Me Do” se torna a mais bela arte da ironia

3
40

Quando se trata de Taylor Swift, nada é suficiente. Nunca. Não importa as coisas boas, nem mesmo as ruins, que ela aparenta fazer. Às vezes é boa demais, já em outras, muito maldosa. Exagerada, ou muito contida. Extremamente falsa ou ignorante. O meio termo não existe em conversas na internet sobre ela, mas o que todos fazem questão de confirmar é que Taylor Swift nunca é o bastante. Pessoas afirmam com todas as suas forças seu ódio escondido atrás de opiniões contra a cantora, afinal “ela é muito falsa” – opiniões ditas com tanta convicção que é como se o dono da frase fosse literalmente insultado pessoalmente por Taylor ao ser convidado para tomar um chá em sua casa e tudo o que ela servisse fosse água. Porém, o motivo dessas opiniões existirem são bem menos cativantes que algo que realmente aconteceu, ou de um insulto direto da artista. O desgosto afirmado por Taylor Swift não passa de uma opinião baseada nos ideais de alguns outros artistas que perdiam seu tempo criticando tudo o que ela fazia – mas felizmente uma opinião baseada em uma opinião não deve ser levada em conta.

Leia também: Trabalho de Camila Cabello em “Havana” e “OMG” reforça que dedicação no estúdio é essencial para talentos autênticos

Com o lançamento de “Look What You Made Me Do“, Taylor Swift deu início ao conceito de seu álbum que não poderia ser melhor. Esse conceito que leva uma espécie de revanche só é incrível pois é pessoal. Histórias inventadas podem ser cativantes na indústria musical, mas a vida de Taylor é tão perturbada que a melhor das ideias saiu de sua realidade, e aqui está a parte engraçada, afinal sem todos aqueles que perderam tempo criticando seu trabalho, sua voz, seu corpo, sua aparência e suas inspirações, a magia de “Reputation” não seria a mesma. Taylor Swift matou sua reputação criada pelo outro lado da mídia – dos próprios artistas que incentivavam involuntariamente o pensamento de que a cantora nunca fazia o suficiente – e se tornou a outra Taylor Swift também criada por aqueles que acreditam que a conhecem tão bem.

O clipe oficial de “Look What You Made Me Do” consegue colocar na parte visual todas as mensagens escondidas que estavam presentes na letra, e de forma literal. Sendo o melhor de Taylor Swift, assim como o melhor lançado em 2017 até então, o vídeo possui um conjunto de imagem, fotografia e edição fantástico para ser encaixado com a história que está ali para ser contada. Todos os cenários, figurinos, efeitos e cenas demonstram essa imagem da cantora que só existia na imaginação de desocupados que acreditavam que a conheciam.

taylor swift look what you made me do

As referências com piadas ditas sem serem pensadas são feitas de maneira debochada e artística. Taylor Swift deixou de enviar indiretas para certas pessoas que cruzaram seu caminho e mandou uma grande direta para todos que perderam seus tempos insultando sua imagem, seja através de uma acusação de calúnia e hashtags para lamentar o fim de sua carreira ou comentários sobre não merecer seus Grammys, ser mercenária por não acreditar em plataformas de stream, passar uma imagem mentirosa pelo simples fato de possuir amigas com corpos magros e ter vários relacionamentos amorosos com homens da mídia, além obviamente de todas as vezes que as palavras “falsa” e “cobra” foram mencionadas.

O fato do vídeo ser uma obra de arte de Taylor Swift com o diretor Joseph Kahn não exclui a importância da cena final onde várias fazes da cantora se encontram para fechar com chave de ouro esse começo da era “Reputation”. A mensagem principal do vídeo pode ser observada nos últimos segundos, onde todas as faces da artista que foram moldadas por aqueles que fizeram comentários são expostas, cada um com sua aparente polêmica. Uma Taylor que guarda recibos, outra morta, aquela que se faz de vítima o tempo todo, a falsa e até mesmo a que gostaria de ser excluída dessa narrativa. Esse conceito final deve servir de análise para o telespectador. Até que ponto o público e até mesmo os artistas conseguem chegar para criticar e difamar uma pessoa sem ao menos conhecer seus motivos? O deboche é divertido e deixa não apenas o clipe mas todo o “Reputation” com um conceito genial, porém para chegar aqui tudo isso realmente aconteceu na vida de apenas uma pessoa que precisou ficar parada ouvindo comentários de desconhecidos sobre sua imagem, carreira e amizades apenas por ser famosa.

Ninguém acerta o tempo todo, esse não é o ponto. Taylor Swift é humana e com certeza já errou muito ao longo de sua carreira. Porém, escolher apenas uma pessoa na indústria para enviar toda a negatividade presente nas bases de fãs é covardia, ainda mais se essa pessoa for uma cantora, compositora, produtora e empresária extremamente talentosa. É preciso parar de atacar aqueles que realmente possuem talento, principalmente se os motivos forem suposições e, no caso de Taylor Swift, baseados em formas de corpos, nomes de ex namorados e o que ela faz ou deixa de fazer com suas músicas nas plataformas. “Look What You Made Me Do” seria apenas um deboche dos haters se performado por qualquer outro artista, mas Taylor Swift transformou na mais bela arte da ironia.