Trabalho de Camila Cabello em “Havana” e “OMG” reforça que dedicação no estúdio é essencial para talentos autênticos

0
52

Se existe uma artista que necessita de todos os olhos da indústria musical atraídos para ela, essa artista é sem dúvidas Camila Cabello. A atenção é necessária pois vem junto da curiosidade de realmente conhecer a pessoa que, até então, estava sendo escondida atrás de uma máscara que foi implantada em seu antigo grupo. Felizmente, Camila teve a coragem de dar um basta a situação e provar que realmente possui talento ao lançar seu próprio conteúdo solo. A expectativa em descobrir o real estilo da cantora está sendo superada por um trabalho que demorou pouco menos de cinco anos para finalmente ser divulgado, mas que possui uma qualidade superior a qualquer coisa que acreditaram ser o melhor para Camila até então.

Leia também: Liberdade e coragem de Camila Cabello expressadas em “Crying in the Club” deve servir de exemplo para falsos artistas

Para seguir o ritmo de lançamentos do verão americano e competir como hit da estação, “Havana” e “OMG” foram colocadas em todas as plataformas de streaming, com participações de Young Thug e Quavo. As canções que compõem o disco “The Hurting, The Healing, The Loving” são extremamente diferentes se comparadas uma com a outra, o que indica que o primeiro álbum de Camila será importante para mostrar sua real essência e colocar no mundo o que a cantora quis dizer desde o início de sua carreira, e não rotular seu estilo com apenas um ritmo.

Co-escrita por Camila e Pharrell Williams, “Havana” é extremamente autêntica e original. Levando o nome do local de nascimento da cantora, o forte da canção é claramente a produção que contém fortes influências latinas através de um trompete no meio dos sons eletrônicos. Além de compositor, Pharrell atua também como co-produtor da música, além de colocar alguns de seus próprios vocais adicionais, deixando a faixa pronta para ser encaixada na voz de Camila que nunca esteve tão controlada e bem apresentada. Apesar de absurdamente diferenciada, “OMG” segue a mesma linha de “Havana”, com foco na produção. Sendo completamente focada no R&B, a canção que foi co-escrita também por Camila e Charli XCX mostra um outro pedaço da artista que até então estava escondido.

A magia das músicas de Camila Cabello se dá ao fato das composições, sendo elas pessoais ou apenas invenções para uma história bem contada na música, terem um significado para cada ouvinte. Suas letras não são fúteis e, ao mesmo tempo, não passam uma mensagem clara da maneira certa para serem interpretadas. O trabalho final apresentado nas composições de Camila pode ser comparado com o que Ed Sheeran cria, por exemplo. É algo único, porém com um significado misterioso que, talvez, nem a própria cantora saiba – e essa é a parte interessante de sua essência.
DGSLT7dUwAAjyB_

Camila conseguiu provar mais uma vez que, quando se tem talento e vontade para realmente se expressar através de sua própria arte, é possível criar um material ótimo e continuar com um nome grande na indústria. O trabalho e esforço da cantora não serão pagos por charts, afinal qualquer pessoa que compre uma música pode atingir o topo sem o mínimo empenho – assim como ela mesma fazia no passado. A dedicação é paga pela realização pessoal em saber que aquilo que está tocando nas rádios foi produzido por você, e pelo percepção que, em muitas vezes, passar 24 horas em um estúdio significa criar seu conteúdo e ter seu próprio nome nos créditos do trabalho feito, e isso é muito mais relevante do que um número um em qualquer parada musical.

O trabalho de Camila vai muito além de uma superação pessoal e atinge a categoria de exemplo. Desde o primeiro single lançado até agora, toda a carreira da cantora deve ser levada como um modo de compreensão de que não existe regras suficientemente armadas na indústria para prender alguém que possui um talento genuíno em um espaço que não produz. A sinceridade de Camila pode ser um dos caminhos para que os consumidores da indústria, sendo eles os admiradores e fãs de artistas musicais, compreendam que, se seu artista favorito não cria seu próprio conteúdo, é simplesmente porque ele não quer. Esperançosamente, esse trabalho autêntico de “Havana” e “OMG”, assim como aqueles que ainda virão, podem virar o jogo e colocar o talento em primeiro lugar.