Carreira de Bebe Rexha é a evidência de que ainda existe caminho para verdadeiros artistas na indústria

0
35

A época atual na indústria musical é provavelmente a mais genérica que já existiu. Pessoas que saíram de programas televisivos com contratos que não interferem apenas na música são chamadas de artistas pelo simples fato de cantarem, vestirem e falarem o que mandam. A palavra “artista” em si foi limitada para literalmente qualquer um que consiga chegar à fama, deixando a criação da arte – que é o mais importante – ser um ponto que não é mais levado em consideração. Obviamente esse é o caminho mais fácil: participar de um reality show e conseguir músicas infinitas na sua mão sem ao menos ter que escrevê-las, e ter a certeza de que elas irão vender. Mas nesse caso, o caminho mais fácil não é certo – e de certa forma, também não é errado, afinal cada um faz aquilo que acha que tem a capacidade de fazer. Porém esse caminho é sem dúvidas vazio.

Porém, apesar da indústria estar quase toda corrompida, a simples palavra “quase” consegue salvá-la. Nela estão os artistas verdadeiros – aqueles que realmente são artistas, que produzem arte, criam conteúdo e não apenas para si mesmos, mas também para outros artistas e claro, outras pessoas famosas que apenas cantam. Um grande exemplo dessas pessoas que salvam o dia é Bebe Rexha A cantora e compositora de 27 anos não teve o famoso caminho mais fácil para seguir. Ela resolveu realmente ir atrás de seus sonhos e objetivos com apenas o seu talento e a certeza de que um dia iria virar uma pop star.

Leia também: Liberdade e coragem de Camila Cabello expressadas em “Crying in the Club” deve servir de exemplo para falsos artistas

A infância e adolescência de Bebe Rexha foi completamente ligada à música. Sua força de vontade fez com que aprendesse instrumentos sozinha para entrar para os grupos musicais da escola. Seu talento pela escrita também já existia, levando-a a ganhar o prêmio de “Melhor Compositora Teen”, no Grammy Day. Uma coisa levou à outra e Bebe acabou em um estúdio com Pete Wentz, da Fall Out Boy. A artista aceitou o convite de Pete para entrar em uma banda nova, Black Cards, onde ela sentiu o gosto de seu sonho nas turnês e tapetes vermelhos. Porém, isso acabou com a saída de Bebe da banda. Na vida real, onde os artistas devem batalhar para serem reconhecidos, não existia algo que Bebe pudesse falar, vestir ou mudar para conseguir um sucesso mundial repentino.

Essa fase ruim pós-banda da cantora é a prova de que é dos sentimentos que a arte flui, sejam eles bons ou ruins. Não existe um artista que não tenha escrito uma música enquanto sofria, ou enquanto sorria. No momento em que o cantor vira compositor, os topos das paradas não importam mais e são substituídos por uma verdade interior que precisa ser dita, e que muitas vezes é literalmente falada aos berros. A decepção de Bebe a levou a compôr inúmeras músicas e colocá-las no SoundCloud, na esperança de que alguém a descobrisse novamente. Um dos frutos desse sofrimento foi “The Monster“, que acabou sendo comprada e interpretada por ninguém menos que Rihanna e Eminem.

Imagem relacionada

Enquanto seus amigos diziam que Bebe havia alcançado o topo por ter uma música de sua autoria cantada por dois grandes nomes da indústria musical, ela discordava. A cantora buscava sua própria marca, uma identidade que fosse reconhecida mundialmente pela verdade que saía de suas letras. Ela continuou compondo e produzindo conteúdo, até que um contrato com a Warner Music foi proposto e, consequentemente, assinado. Até então, todas as músicas interpretadas por Bebe foram escritas ou co-escritas por ela, mais uma prova de que o caminho “longo demais” para certas celebridades gera inspiração, e com certeza fez com que a cantora amadurecesse e se tornasse uma pessoa pronta para lidar com a realização de seu sonho.

Bebe Rexha é uma artista que tentou, conseguiu, se frustrou, conseguiu novamente e por fim, chegou onde gostaria de chegar. É a evidência de que existe sim o caminho difícil, e que ele pode ser atravessado se você realmente nasceu para ser um artista – um dos verdadeiros, que produz arte, e são esses que merecem o espaço e reconhecimento nas plataformas digitais que tanto espalham trabalhos genéricos pelo mundo. Bebe é uma inspiração, não apenas no quesito “realizar um sonho”, mas também no de acreditar que você é capaz para lutar e construir seu caminho até ele, e não simplesmente ganhá-lo de graça.