Melhor versão artística de Selena Gomez continua sendo exercida através da suavidade de “Bad Liar”

0
63

Alguns ainda podem apostar em notas estendidas e vocais poderosos e altos, mas a verdade é que esse deixou de ser o “padrão musical” há algum tempo. Os artistas estão explorando cada vez mais seus verdadeiros potenciais e não aquilo o que todos acreditam que querem, o que levava a uma grande mentira feita com programas de auto tune para a mudança vocal que, em muitos casos, nem precisava ser mudada. O caso de Selena Gomez é exatamente esse. A cantora que finalmente se encontrou no álbum “Revival” felizmente continuou na mesma linha para o novo single.

Leia também: Uma mistura de referências sonoras e composições intimistas transformam “Harry Styles” em uma obra prima do Blues/Rock

Bad Liar” é o ápice de perfeição musical que um artista pode chegar utilizando apenas sua sonoridade, sem exageros. A maravilhosa produção criada por Ian Kirpatrick acompanha a voz suave de Selena como se fossem uma só – sua introdução apenas com efeitos sonoros acompanha o melodismo da voz da cantora, que se torna parte do próprio arranjo. A composição recebeu uma ajuda do incrível talento de Julia Michaels, que é sem dúvidas uma das mais populares compositoras da geração.

O fato de Selena ter estendido essa sua fase calma e melódica apenas prova que é ela que deve prevalecer. Sua voz é perfeita para ser cantada do modo “Bad Liar”, e a cantora está sabendo explorar cada efeito que consegue criar.

Já o clipe – primeiro a ser lançado exclusivamente para o Spotify – também continua seguindo a era “Revival”. Selena está literalmente tentando, tentando e tentando não pensar em alguém, levando a suavidade da faixa pra o vídeo, que é extremamente simples porém consegue colocar em imagens a dificuldade de uma bad liar em fazer o que acha que deve.

Selena Gomez é a prova de que não existe mais padrão musical. Um artista deve ser bom pela seu conteúdo e não por o que pode oferecer aos charts – e isso ela faz de maneira excelente. A cantora conseguiu se encontrar em um álbum e não se perder em momento algum nas duas músicas lançadas após ele, mesmo uma delas sendo eletrônica. Esse é o ponto que diferencia quem cria para as paradas e quem cria por si mesmo – se adaptar é necessário e interessante, mas um artista não deve perder sua essência ou deixar de encontrá-la apenas para agradar seu ouvinte.

“Bad Liar” é o retrato de Selena Gomez como artista em todos os sentidos – desde a produção até o vídeo oficial. Uma suavidade única no pop internacional que deveria ser mais explorada por muitos que acreditam que alcançar notas inatingíveis é o certo e o que deve ser feito. Essa sonoridade única é o que espero encontrar no próximo álbum da cantora, e se for misturada com produções tão diferenciadas quanto a do novo single, será um dos melhores do ano, independentemente quando for lançado.