As incríveis apresentações que fizeram o ‘Teen Awards’ parecer um festival de música

0
39

O Reino Unido é praticamente uma fábrica de cultura (muitas vezes, gratuita) e isso não é novidade para ninguém. Um dos maiores meios de entretenimento do UK é a BBC, e em questão, a BBC Radio 1, responsável pela premiação Teen Awards, que acontece todos os anos, e sempre chama a atenção pela Line Up. No último domingo (23), foi a vez da edição de 2016 acontecer.

Para a surpresa de todos, o show foi aberto por aquele que estava acostumado a fechar: Niall Horan, o antigo membro da One Direction que todos adoram mostrou não ter medo dessa nova fase e encarou o palco sozinho, levando apenas seu violão e seu novo e primeiro single solo, “This Town“. Mesmo estando acostumado com o Wembley Stadium, pareceu um pouco tímido para a “pequena” Wembley Arena, o que é completamente normal para uma primeira apresentação. Apesar do nervosismo aparente, Niall conseguiu mostrar seu novo estilo e objetivo musical. Mas a questão é: Será isso o suficiente para agradar seus antigos e novos fãs?

Seguindo a linha solo, Jess Glynne apostou nas luzes para fazer suas performances um pouco mais especiais, junto de backing vocals e uma pequena banda, mas para falar a verdade, com uma voz daquelas não é necessário nem palco para ser algo diferenciado. O talento é com certeza o que mais chama a atenção nas apresentações da cantora, que manteve a linha Jess Glynne de ser ao apresentar “Hold My Hand” e “Don’t Be So Hard On Yourself“:

Os novatos norte-americanos da DNCE invadiram a Inglaterra com suas músicas e acabaram sendo convidados para se apresentarem no Teen Awards. Cantando os singles lançados até agora, a banda provou que possui um estilo único, com muita singularidade, e por mais que os britânicos não demonstrem muita animação em shows, tenho certeza de que se divertiram com as animadas “Cake By The Ocean”, “Toothbrush” e “Body Moves”. A banda provou que seu sucesso não se dá apenas o fato de Joe Jonas já ser um veterano no assunto, pois cada membro do grupo possui algo diferenciado no palco:

The Vamps, que já é praticamente parte da equipe da BBC Radio 1, voltou ao palco do Teen Awards esse ano após vencer três categorias na edição de 2014. E para provar que é realmente o melhor grupo britânico, a banda levou novamente para casa o troféu de “Best British Group“. Realmente, para quem canta, compõe, produz, toca e performa, dar o prêmio ao grupo nem é mais por merecimento, é por obrigação. Mas, sem dúvidas, o ponto alto da The Vamps são as apresentações ao vivo, que sempre possuem muita energia e talento por parte dos meninos que criaram uma presença de palco incrível nos últimos anos. Com uma performance completamente não-artificial de “All Night“, eles mostraram um novo – e ainda melhor – lado do atual single:

Leia também: O que esperar para o próximo álbum da The Vamps após “All Night”?

Outra atração britânica que merece o sucesso que faz é Little Mix. O grupo que acabou de lançar o single “Shoutout To My Ex” conseguiu um grande e merecido número 1 nas paradas do Reino Unido. As meninas, que já haviam performado a música no The X Factor UK, provaram mais uma vez o porquê de serem a girlband mais completa que existe atualmente também com as apresentações de “Hair” e “Black Magic“. Se você acha que cantar e performar é difícil, se pergunte como Little Mix consegue criar e dançar uma coreografia incrível sem deixar a harmonia de lado:

Leia também: Com “Shoutout To My Ex”, Little Mix prova ser a melhor girlband da atualidade

Shawn Mendes, além de levar os prêmios de “Best Single” e “Best International Solo Artist“, não deixou a desejar em suas apresentações no Teen Awards. Ele, que também participou da edição de 2014 ao se apresentar com The Vamps, fechou a premiação com seu talento que vale muito mais do que uma chave de ouro, cantando três de seus sucessos, sendo um deles – a minha favorita – “Mercy“, o single mais recente de “Illuminate”, seu novo e maravilhoso álbum. A performance é absolutamente simples, como a maioria das que o cantor faz, mas a letra da faixa é mais do que o suficiente para criar algo brilhante apenas com o cantor, sua voz e o microfone no palco: