Foto: Gray Hamner

Atuando na lista de jovens absurdamente talentosos nas composições que estão iniciando suas carreiras na indústria musical, Taylor Grey é alguém para definitivamente se prestar atenção. Além de todas as suas canções levarem seu nome nos créditos e sentimentos nas palavras, Taylor possui uma voz encantadora, que ao se juntar com o ritmo cativante de seu primeiro álbum, “Space Case“, se torna um vício. As produções diferenciadas que acompanham as composições pessoais foram os temas centrais da entrevista que tive o prazer de realizar. Além disso, a cantora também comentou sobre a parceria com Bradley Simpson, da banda The Vamps, na faixa “Fallin‘”.

A primeira parte da entrevista pode ser lida abaixo. A segunda parte, em vídeo, sairá em breve!

Li uma declaração onde você disse que a composição permite que você expresse suas emoções. Como é o processo de colocar seus sentimentos em palavras e qual deles você julga os mais inspiradores – os bons ou ruins?
Escrever canções sempre foi um bom modo para eu processar e expressar como eu me sinto. Para sentimentos negativos ou situações ruins, escrever músicas pode ser a forma de superação para mim. E para sentimentos positivos, é uma ótima maneira de refletir e capturar o momento no tempo.

Aqui no Chá das Onze defendemos muito os verdadeiros artistas que podem literalmente colocar um pedaço de si mesmos nas músicas através das composições. Para você, o quão importante é o fato de um artista criar sua própria música desde o começo?
Para mim, é muito importante criar minha própria música porque a música é destinada a ser um reflexo de mim mesma. Eu quero ser honesta em meu trabalho e esperançosamente as pessoas irão conseguir se identificar mais comigo porque elas sabem que estou vindo de um lugar verdadeiro.

Josh Abraham e Nico Stadi ajudaram você no processo de produção do Space Case. Como você se vê como artista após essa experiência com eles?
Eu realmente amei trabalhar com eles já que eles são produtores muito talentosos e realizados. Eu amei o processo de ser capaz de levar todas as minhas músicas que têm diferentes estilos e influências e aprender sobre como a produção pode realmente criar um som abrangente – Eu gosto de chamar o som que criamos de Space Pop.

Eu amei o ritmo melódico que está em todo o Space Case, é como se o ritmo representasse você como artista, o que é incrível e autêntico. O fato do álbum inteiro levar esse ritmo foi proposital ou algo natural?
Obrigada! Sim, foi bem proposital. Nós criamos um som Space Pop porque eu queria algo que fosse cativante e “amigo-das-rádios” mas que também permanecesse bem verdadeiro para uma visão artística, que pudesse ser parte do meu crescimento como uma artista e que me ajude a me destacar. 

Acredito que não seja justo pedir para você escolher uma música favorita, então faça um top 3 das canções mais importantes do Space Case – aquelas que representam o álbum inteiro.
Space Case – Essa música é muito importante para mim porque enquanto um coração partido e amor são ótimos para se escrever sobre, essa música é sobre sonhadores. É sobre alguém que não se encaixa no mundo real porque tem ambições de “outro mundo”. 

Fallin’ – Essa foi uma das primeiras músicas que escrevi para o álbum e a melodia e letra me dão um sentimento purificante. Essa é uma das minhas músicas favoritas para performar ao vivo porque eu fico bem emocionada, ela sempre faz eu me entregar.

Miles Away – Eu estou realmente orgulhosa dessa porque foi completamente escrita e gravada em menos de duas horas. Foi uma experiência avassaladora escrever ela mas foi incrível! E eu amo que o vocal tem um som e tom diferente – eu gosto da vibe!

Assim como você, eu amo The Vamps, e Bradley é um artista incrível e extremamente talentoso. Como foi a experiência de dividir não apenas o processo criativo mas também os versos de “Fallin'” com ele?
Brad é um artista incrível e eu estou muito feliz que trabalhamos juntos. A melhor parte é que quando ele ouviu a música, ele escreveu alguns versos adicionais, e isso mostrou que ele realmente entendeu o significado da canção. A maioria das pessoas pensam que é uma música de amor mas na realidade é sobre deixar de amar alguém e ele realmente entendeu isso.

Além de Bradley, você fez uma colaboração com Spacer Kane. Você tem mais alguma colaboração em mente? Talvez um feat. dos sonhos?
Meu maior sonho seria colaborar com John Mayer ou Ed Sheeran.

Para finalizar, eu tenho que te dizer, minha música favorita é, sem dúvidas, “Wild Bird” (desculpas para “Fallin'” haha) – é um grande hino para nós, sonhadores! Na música você diz que é “apenas uma questão de tempo” até você conquistar tal coisa. Me diga um grande objetivo que você tem para a sua carreira que você sabe que é apenas uma questão de tempo até você conseguir conquistar.
Obrigada!! Wild Bird é definitivamente o meu hino. Eu iria amar ter uma música no Top 40 um dia, eu não sei quanto tempo vai demorar ou se é mesmo possível, mas eu vou continuar trabalhando duro.


Não deixe de se inscrever no canal do Chá das Onze no YouTube para não perder a segunda parte da entrevista com Taylor Grey. Mas, enquanto ela não sai, conheça e escute o trabalho incrível da cantora em seu primeiro álbum, dando o play abaixo.